Google Wave: É de comer?

Foi em maio, no evento Google I/O, que o Google apresentou seu novo projeto Google Wave. Desde então, tem sido declarado por muitos como uma revolução da Internet que irá acabar com e-mail, instant messaging, Twitter e todas as formas de comunicação conhecidas até hoje. Parte desse barulho vem da demonstração, que provavelmente bateu algum recorde de funcionalidades por minuto, e parte pelo fato do Google estar por trás do projeto, o que obviamente não aconteceria se o projeto se chamasse Armarinhos Fernando Wave por exemplo.

O que é mais interessante é que aparentemente ninguém sabe responder muito bem o que é o Google Wave, mesmo as pessoas que tem acesso a ele desde a metade do ano. Pelo menos eu tenho visto muita gente que consegue um convite e fica se perguntando o que fazer com a aplicação e porque ela ficou tanto tempo mendigando pedindo convite pros outros (não sei se você sabe, mas para ter acesso ao Wave você precisa ser convidado). E isso acontece mesmo com as pessoas que tem algum traquejo com tecnologia. Mas o que é então o Google Wave? A maioria das pessoas não sabe responder e nem vou ser eu a fazê-lo, não é verdade?

Mas graças a meu amigo Márlon Brum eu consegui acesso à ferramenta e vou mostrar algumas coisas que não são muito óbvias para quem acessa o sistema (pelo menos eu não ia descobrir olhando só para o Wave). O objetivo aqui não é um tutorial, já que acho que o básico seja muito parecido com Gmail, por exemplo. O objetivo é mostrar que o Google Wave tem umas coisas legaizinhas e não serve apenas para jornalistas usarem trocadilhos horríveis (“entre já nessa nova ONDA” ou “um novo jeito de SURFAR na web” – ARGHHHH).

Bots

Uma das coisas mais legais e que diferencia bastante o Wave de outras ferramentas são os bots. Bots são mostrados como contatos normais, como se fossem pessoas, mas na verdade são softwares que podem agir sobre o que você e seus amigos estão escrevendo. Por exemplo, se por acaso você virou seu monitor de cabeça para baixo e não sabe como reverter (juro que já vi um caso desses no Orkut), você pode querer escrever todo seu texto de cabeça para baixo para que você consiga ler. Para isso você pode usar um bot chamado Flippy. Na parte de contatos, digite flippy-wave@appspot.com e adicione o Flippy aos seus contatos. Crie uma wave e adicione o bot para participar. Tudo que você digitar opıʇɹǝʌuı ɹǝɔǝɹɐdɐ ıɐʌ.

Twitter

Uma das coisas que você pode fazer é utilizar o Wave como cliente de Twitter. Para isso basta adicionar o Tweety (tweety-wave@appspot.com) a uma wave. Ele vai pedir que você forneça usuário e senha e pronto, você já vai ver sua timeline e poderá postar pelo formulário no topo.

Tweety

O que é bem decepcionante é que você não consiga postar utilizando blips do próprio Wave (um blip é mais ou menos a unidade de uma wave, algo parecido com cada comentário num blog ou um post num tópico de um fórum). Você é obrigado a usar o formulário no topo. Sem falar que não vi uma forma de atualizar a timeline. O que torna o Tweety o pior cliente de Twitter que já vi, ou seja, por enquanto apenas uma curiosidade, ou uma forma de provocar as pessoas que ainda não tem Wave. Ou eu não saquei como usar e você pode me contar como se faz nos comentários.

Tradutor

Na apresentação do Google I/O fizeram a demonstração de um bot chamado Rosy Etta, que era capaz de fazer a tradução simultânea do que você estava escrevendo (em francês ou português por exemplo) para o inglês. O legal é que era realmente em tempo real, com a tradução sendo realizada a cada palavra digitada. Tentei utilizar Rosy (adicionando rosy@appspot.com a uma wave) e pelo jeito o bot não está funcionando no momento. Dizem que ela foi trabalhar com um vestido curto demais e foi hostilizada aos gritos de “Puta!”. Não mentira. Essa foi outra história. O que dizem é que ela está em desenvolvimento ainda.

Mas não fique triste, porque desenvolveram um bot que faz exatamente a mesma coisa, chamada de Aunt Rosie (ou tia Rosie, que pode ser adicionada com o endereço aunt-rosie@appspot.com). Basta escolher seu idioma e digitar, que a tia Rosie traduz para você.

Tradução simultänea

Gadgets

Basicamente são aplicações que vocë pode inserir em uma wave e então vocë e seus amigos podem interagir com ele. Para adicionar um gadget você precisa ter o endereço dele, e quando estiver editando uma wave clicar no botão da peça de quebra cabeças verde que aparece na barra de ferramentas. Forneça o endereço do gadget e se ele estiver funcionando direito vai aparecer na sua wave.

toolbar

Botão para adicionar gadgets: peça de quebra-cabeças verde ali à direita

Xadrez

Para inserir um tabuleiro de xadrez utilize o endereço http://gerculanum.appspot.com/gadgets/com.example.chessgadget.client.ChessGadget.gadget.xml . Você vai poder então convidar um amigo e se divertir tentando comer a rainha dele.

Tabuleiro de xadrez - o único lugar em que cavalos andam em L

Tabuleiro de xadrez - o único lugar em que cavalos andam em L

Existem outro gadgets de games, mas não vi por exemplo algum de War, ou de Imagem & Ação ou batalha naval. Ou mesmo aquele jogo que as meninas te obrigavam a jogar quando era pequeno: STOP.

SAP BPM

Um exemplo de uma aplicação mais séria está neste vídeo da SAP, onde fzaem umas pequena demonstração de um protótipo de software de modelagem de processos (mais conhecido como Business Process Management) em que todos podem participar e editar os diagramas ao mesmo tempo, praticamente uma rave da modelagem de processos.

Para mais extensões e bots de Wave, deixo aqui este link (nem todos estão funcionando, mas a lista é boa) e a página do Google Labs.

Enfim, se o Google Wave vai se tornar algo revolucionário, vai depender muito de alguém criar algum plugin que seja revolucionário, já que os que estão por aí são apenas os primeiros passos e exemplos do que se pode ser feito com a plataforma. O Google Wave crú, sem nada, que o pessoal encontra logo que recebe seu convite é como pão francës, é muito melhor com um requeijão, Amendocrem ou Nutella. E você programador, não está a fim de criar a próxima Nutella da Internet?

Obs.: Eu não tenho convite para o Google Wave, não adianta pedir. Nem todo mundo que tem acesso ao Wave tem convites.

4 Respostas para “Google Wave: É de comer?

  1. Mandaí um convite para o google wave!

    obs: eu li o seu post até o final.

  2. Pingback: uberVU - social comments

  3. Tão ruim quanto são os trocadilhos dos jornalistas falando de cloud computing, como “Microsoft mira para o alto para acertar a nuvem”. Sem condições.

    Essa estratégia de disponibilizar o aplicativo só pra quem tem convite gera um valor artificial para o produto, o que atiça a nossa curiosidade. É uma excelente forma de se aproveitar da fragilidade do subconsciente humano.

    • Concordo, mas no caso do Wave até faz sentido por ser um sistema em testes e provavelmente é bom segurar um pouco o volume de acessos. Para o caso do novo Orkut que é mais uma mudança visual não faz sentido algum.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s